domingo, 16 de dezembro de 2018

Cometa será visto hoje a olho nu


O cometa 46P/Wirtanen, conhecido pelo simpático nome de "Cometa do Natal", atinge neste domingo o ponto de sua órbita mais próximo da Terra e poderá ser observado a olho nu. De acordo com a Nasa, ele passa por aqui a cada 5 anos e será visto na constelação de Touro. Mesmo visível, o cometa estará a cerca 11,6 milhões de quilômetros da Terra (mais ou menos 30 vezes a distância entre a Terra e a Lua). Observe que essa distância parece grande demais, mas em Astronomia, é um nadinha, é bem pertinho mesmo. Nesta época do ano, também ocorre a chuva de meteoros Geminídeos, que iluminam o firmamento - meteoros serão visíveis e parecerão bolas de fogo verdes no céu. Aqueles que não puderem apreciar o show de luzes neste domingo, poderão observá-lo durante todo o mês com binóculo ou pequeno telescópio.

A vã filosofia dos cometas Os eclipses e os cometas são vistos como agouros, desde que o homem olhou para o céu. Shakespeare lamentava-se de que esses agouros celestes somente serviam aos príncipes e aos papas. Assim, os remediados, os desprovidos, a gentalhada, os descamisados, nem com a sorte dos céus contam, por simples falta de importância aos deuses. *******************************************  

  Multiverso Se os físicos estiverem certos com suas teorias sobre o "Multiverso" - infinitos universos paralelos, com várias cópias do indivíduo em vidas também paralelas - vamos ter que rasgar todos os nossos tratados filosóficos, livros religiosos, e criar uma nova compreensão da vida e do homem. O duro é que, matematicamente, eles estão certos!

Nossa imprensa Leio Camus: "um país vale, muito frequentemente, o que vale sua imprensa".

Nossas lendas Lendas curitibanas: metrô, loira fantasma, carnaval e prefeito. Acredito na loira!

Colombo Ontem li a história do genial Colombo, vítima da inveja dos medíocres.

Perereca assada Calor de cozinhar perereca no brejo!

A lei Rouanet romana Na Roma antiga, artistas recebiam do Estado e os puxa-sacos do imperador garantiam a boquinha. Vergilius contou a história de Roma em versos maravilhosos e aproveitou para elogiar Octavius Augustus, o imperador da hora, Viveu na riqueza e foi laureado, favorecido pela lei Rouanet da época, o mecenato de Estado, que também se chamava grana pública. Ovidius escreveu sobre o amor carnal, a contragosto do hipócrita imperador Augustus, em versos magníficos; sem puxar o saco de ninguém, morreu no exílio, na mais completa penúria. Com os séculos, Ovidius era mais considerado pelo povo do que Vergilius.

O tato do Espírito O sentir de hoje, dentro de nossos corações, é o mesmo sentir do homem da caverna que tateou o lado exterior da montanha em que se abrigava, em medo, susto e êxtase, ao se descobrir dentro de um contexto cada vez mais inexplicável, principalmente ao mirar os astros e as estrelas. Poesia é, portanto, esse sentir, a forma que encontramos de dar explicações ao que não se explica, de dizer o que não foi dito; é acrescentar em nós mesmos mais do que nossos cinco carnais sentidos, dando sutil tato aos nossos espíritos.


********************************************************************************* 



                                 

 Poema do nosso livro Corações Dedicados, clique aqui, leia e divulgue!
Obrigado.

patientia, fratres!

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

UM LIVRO DE ALDEIA E QUE TRABALHA SENTIMENTOS UNIVERSAIS

Capa e contra-capa do livro Corações Dedicados


Nesta manhã de domingo, 9 de dezembro, tive o prazer de ver mais um livro publicado, Corações Dedicados. Para tê-lo, dei-me a tarefa de reunir aqui e algures notas e papéis dispersos (poetas não são organizados: escrevem apenas, depois se preocupam em colocar o escrito em livros, e este é nosso tormento!). 

Bom, são 100 páginas em que discorro um pouco sobre a minha aldeia (no sentido dado por Fernando Pessoa), na qual vivo desde criança, Curitiba. Mas, o importante mesmo e que procuro destacar, é sua gente, a qual figura numa lenda que diz ser ela capaz de te convidar para um café e não comunicar a ti o endereço para tal. Como disse, uma lenda! Falo pois, do que as pessoas sentem e isso vale para qualquer cidade, daqui ou da China.

É, o curitibano é um ser peculiar, mas de humanidade ímpar. De coração dedicado a amigos e à família, embora de alma calada, principalmente em relação a estranhos, o morador da cidade, nativo ou não, desenvolve um jeito todo especial de encarar a vida. Tento retratar isso. Apenas tento.

Aproveitei neste livro para também saudar os amigos, coisa difícil de se fazer nesta cidade. Aqui, externar paixões e amizades é raridade. 

Outra demonstração que fiz, foi a que para se publicar um livro nos dias de hoje, não se faz necessário o financiamento com o dinheiro público. O livro, em suas pequenas despesas, foi financiado coletivamente, e as contas que sobraram foram sanadas pela Lei Roa-Nandé, ou seja, do próprio bolso. Portanto, é um livro que já nasce com a virtude de não ter tirado dinheiro dos impostos de nosso sofrido povo. 

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Lançamento - curso de Latim - Volume I

O primeiro volume de nosso curso de Latim agora também está disponível em e-book.

Para os interessados na língua que foi falada por César, Vergílio e Cícero, basta clicar aqui.


Cometa será visto hoje a olho nu

O cometa 46P/Wirtanen, conhecido pelo simpático nome de "Cometa do Natal", atinge neste domingo o ponto de sua órbita mais p...